domingo, 27 de setembro de 2009

Deuses em mim


Por Ana Marques

O meu coração
é um templo dos Deuses Antigos.
Meu corpo
sua vontade espelhada
em sacro altar.

Sou o receptáculo
de suas dores.
Vivifico em amores
de amor construído
na dança dos Antigos.

Meu é um coração
pleno de sonhos.
Minha é a água
plena de sabores.
Estou dançando com os Antigos.

Sou o templo
em renovação.

Sou a sacerdotisa
em desconstrução.

Sou a bruxa
que guarda os véus
dos Deuses em mim.

domingo, 13 de setembro de 2009

Eu faço perguntas.


Por Ana Marques

Eu faço perguntas.

Está em mim. Faço perguntas. Questiono. Pergunto outra vez.

Desculpem o espírito "três-anos" que vive em mim, mas não sei viver sem buscar compreender.

Procuro entender o mundo que me rodeia, as pessoas que amo, o amor em si, as motivações, os anseios e o interior de cada um.

Inclusive o meu.

Importa quem sou, importa saber onde estou nesse mundo, onde encaixo minha forma e minha adaga nessa natureza digna e nessas luas sem fim.

O mar me olha e escancara suas próprias questões e a criança viva dentro de mim põe-se a perguntar novamente.

Quantas vezes as pessoas adentram seus espaços para compreender o porquê de estarem ali? Exatamente ali, e não na outra esquina? Por que não em outro país? Por que se conformaram? Ou lutaram? Por que se rebelaram... ou não?

Qual foi a noite mais bela da sua vida?
Qual foi a decisão da qual não se arrependeu?

Em que obscuro cômodo do seu coração vivem suas motivações?
Sabe exatamente o que o levou para o caminho que trilha?

Vejo as pessoas seguindo. Muitas vezes sem conseguirem enxergar que os motivos, tão bons motivos, são obediências. E seguem obedecendo acreditando que estão construindo uma vida.

Mas que vida há na obediência cega, que pode nos levar à felicidade mas que, com frequencia bem maior, nos leva à depressão ou ao abismo da indiferença?

Não estão cegos??
Ah, desculpe...
Provavelmente não.

Então... qual é a sua motivação?
Seus pais o criaram livres, a sociedade não lhe exerceu influência, a cultura ampliou seu horizonte e seus amigos não lhe exerceram pressão...
Responda-me de novo: qual é a sua motivação?

Porque o pai ausente motiva tanto quanto o presente: ele constrói a ponte pela negação. A mãe boa, quer seja boa demais, castra tanto quanto a mãe má ou a super-protetora, todas impedem a liberdade (leiam contos de fadas!). A cultura nos situa onde vivemos e nos distancia do que a ela é estranho, nossos limites são os limites dela, o que não está inserido nos é difícil compreender. Os amigos, seres sociais que gravitam em torno de todos nós desde a mais tenra idade, seja por amor ou por desconhecimento, um dia ou outro irão impor seus próprios e quanto mais jovens mais propensos estamos a aceitar o grupo em detrimento do "eu"...

Não importa quão boa tenha sido nosso ambiente e nossa família, nossos amigos e nossa vida... Não importa se cheios de razões ou dispersos delas... Todos somos influenciados e ensinados. Os nossos limites são impostos, antes que possamos aprendê-los.

É preciso soltar as amarras.
Enxergar os limites.
Ir além. Desenhar tudo de novo. Redesenhar sua vida nos seus próprios limites.
Perceber se o que desejamos é a nossa sina ou sina escrita numa briga de muitos anos atrás.

É importante compreender o não e o sim que dizemos. Se não desejamos uma profissão ou se a descartamos porque nos rebelamos contra alguém que a sugeriu para nós. Se seguimos um caminho porque era o que queríamos ou a sociedade nos impôs como o melhor ganha-pão.

O que fizemos com nossas vidas, foi feito por nós? Ou por inúmeras outras mãos invisíveis e desatentas que fomos recolhendo a cada passo?

Olhem bem à sua volta.
Enxergam a vida que vivem e a que desejam levar?

Podem ver o abismo? Enxergam a queda demasiada alta? A tontura demasiado forte? O fundo demasiado perto?

Se enxergam... perguntem-se: por que continuam na sua beira?


PS: E a resposta é "sim"... a quem quiser saber. Eu me faço as mesmas perguntas o tempo todo: o que quero é meu ou é resultado do outro? De onde isso veio? Qual a minha motivação? Aonde pretendo chegar ou por que pretendo partir? :)